DADOS TÉCNICOS

Data de lançamento: 7 de março de 1931 (Brasil)
Direção: Charlie Chaplin
Produção: Charlie Chaplin
Música composta por: Charlie Chaplin, José Padilla Sánchez, Alfred Newman, Arthur Johnston
Cinematografia: Roland Totheroh, Gordon Pollock

LUZES DA CIDADE

O longa-metragem The Circus, lançado em 1928, foi o último filme mudo de Chaplin antes da indústria cinematográfica evoluir para o cinema "falado", o que causou o declínio da Era dos filmes mudos. Visto que Chaplin operava como seu próprio produtor e distribuidor (sendo um dos proprietários da United Artists), ele foi capaz de conceber City Lights como um filme mudo. No entanto, tecnicamente, o filme não era totalmente mudo. Embora o diálogo seja apresentado em letreiros, a trilha sonora do filme possuia música sincronizada, efeitos sonoros e, no começo do filme, alguns sons ininteligíveis que zombavam padrões de fala.[2] Como cineasta, Chaplin era conhecido por ser perfeccionista; ele era famoso por gravar muito mais tomadas do que outros diretores da época. Ele chegou ao ponto de despedir Virginia Cherrill e começar a refilmar com Georgia Hale, a coadjuvante de Chaplin em The Gold Rush. Isto tornou-se muito caro, mesmo para o seu orçamento e, assim, Chaplin re-contratou Cherrill e foi capaz de concluir as filmagens de City Lights.

Um infeliz mas complacente vagabundo se apaixona por uma jovem florista cega nas ruas da cidade. Ao saber que ela e sua avó estão prestes a serem despejadas de casa, o vagabundo cria uma série de situações para lhes proporcionar o dinheiro de que precisam, mas todas terminam em um fracasso humilhante. Porém, depois de um milionário bêbado o recompensar por ter salvado sua vida, o vagabundo pode mudar a vida da florista para sempre.